FGV Direito Rio e Defensoria Pública do Rio lançam cartilha de orientação para vítimas de discurso de ódio

Fruto do convênio de cooperação para prática jurídica em direitos humanos, o material tem linguagem clara, acessível e apresenta um conjunto de perguntas e respostas para orientar a população nos casos de possíveis manifestações que caracterizem discurso de ódio

FGV Direito Rio e Defensoria Pública do Rio lançam cartilha de orientação para vítimas de discurso de ódio

O Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) e o Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh) da Defensoria Pública do Rio de Janeiro disponibilizam, a partir deste mês de julho, a “Cartilha de orientação para vítimas de discurso de ódio“. Fruto do convênio de cooperação para prática jurídica em direitos humanos celebrado entre o NPJ e o Nudedh, o material tem linguagem clara, acessível e apresenta um conjunto de perguntas e respostas para orientar a população nos casos de possíveis manifestações que caracterizem discurso de ódio.

“O que é discurso de ódio?”, “Discurso de ódio ou injúria preconceituosa?”, “Como saber se fui vítima de discurso de ódio?” são algumas das perguntas sobre as quais o público poderá obter esclarecimento e orientação. A Cartilha foi produzida no âmbito da Clínica LADIF (Laboratório de Assessoria Jurídica em Direitos Fundamentais) do NPJ, supervisionada pela advogada Juliana Antunes, e contou com participação de 23 alunas e alunos da graduação da FGV Direito Rio.

Para o professor André Mendes, Coordenador do NPJ, a Cartilha expressa o valor da responsabilidade social do NPJ da FGV Direito Rio, caracterizando também uma atividade de extensão: “É um tema da maior relevância. Esperamos que a Cartilha possa ajudar o público em geral sobre o que fazer nos casos de discriminação e intolerância que caracterizam o discurso de ódio. Parabéns aos alunos e alunas que participaram, liderados pelo ótimo trabalho da professora Juliana Antunes. E agradeço a cooperação com a Defensoria Pública, na pessoa do estimado Defensor Público, Dr. Fábio Amado”.

Para a professora Juliana Antunes, supervisora da Clínica LADIF, “A cartilha é um importante instrumento para a conscientização, prevenção e, principalmente, para o combate ao discurso de ódio, prática que, infelizmente, vem crescendo na sociedade. Agradeço aos alunos, à FGV Direito Rio e à Defensoria por participar de um projeto tão importante.”.

Para o Defensor Público Fábio Amado, coordenador do Nudedh, “A frutífera parceria entre o NPJ da FGV Direito Rio e a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro acaba de gerar mais um trabalho de muita qualidade, marcado por seu caráter didático e informativo. A Cartilha surge em momento histórico extremamente oportuno, já que o discurso de ódio, sobretudo online, tem se disseminado de modo exponencial. Foi uma honra participar dessa construção com as alunas e os alunos da FGV Direito Rio, a Professora Juliana Antunes e o dileto Professor André Mendes”.

Alunas e alunos participantes: Amanda Vasconcelos de Almeida Alves; Ana Carolina de Pedroso e Soares; Bruna Ribeiro Paciello da Motta; Gabriel Custódio da Silva; Gabriel Guimarães; Arlé; Giulia Campello Costa; Helena Szczupak; Isabela Sias Maffort Lopes; João Carlos Cochlar de Oliveira; João Paulo Domingues Machado; João Pedro Vasconcellos de Sá Rêgo; Júlia Mauricio Castro; Juliana Bastos Poubel; Lily Borges Santos Castilho; Luca Pereira Wanick Vannuzini; Maria Luisa Rocha Malta; Maria Luiza Silva Sanches; Matheus Rodrigues Silva de Castro; Natália de Carvalho Mello Bahury; Nathalia Moroz Barg; Paula Sant´Ana Strogoff; Roberta Licht; Tatiana Lima Murta; Vanessa Pereira Tourinho, Helena Szczupak.

A “Cartilha de orientação para vítimas de discurso de ódio” está disponível de forma gratuita no site.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

Posts Recentes

 Ver tudo