FGV entrega plano de gestão estratégica para o STJ referente ao biênio 2020-2022

Para o presidente da FGV, Carlos Simonsen Leal, o Brasil precisa resgatar a sua tradição de investimento em planejamento estratégico, e iniciativas como o plano desenvolvido em conjunto com o STJ são ações práticas e concretas nesse sentido

FGV entrega plano de gestão estratégica para o STJ referente ao biênio 2020-2022

O presidente da Fundação Getulio Vargas (FGV), Carlos Ivan Simonsen Leal, e o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, participaram de cerimônia virtual, no dia 6 de novembro para a entrega do plano de gestão estratégica referente ao biênio 2020-2022, elaborado em parceria por técnicos do STJ e da FGV Conhecimento, por meio do Centro de Inovação, Administração e Pesquisa do Judiciário.

Participaram da cerimônia, entre outras autoridades e especialistas, os ministros Luis Felipe Salomão, Marco Aurélio Bellizze, Marco Buzzi e Herman Benjamin; o diretor-geral do STJ, Marcos Cavalcante; o secretário-geral da Presidência, Jadson Santana, além de técnicos do STJ e da FGV.

Ao agradecer à FGV pelo empenho na elaboração do plano, o presidente do STJ, ministro Humberto Martins, afirmou que um dos objetivos perseguidos é gastar menos recursos públicos e entregar mais na prestação jurisdicional. “Elaborado de forma colaborativa entre as equipes técnicas da FGV e do STJ, e com modelo de administração participativa e agregadora, este plano pretende priorizar as ações para o próximo biênio, distribuídas em três grandes frentes: governança; tecnologia e inteligência artificial; e comunicação”, explicou.

Para o presidente da FGV, Carlos Simonsen Leal, o Brasil precisa resgatar a sua tradição de investimento em planejamento estratégico, e iniciativas como o plano desenvolvido em conjunto com o STJ são ações práticas e concretas nesse sentido. “O Brasil investiu muito em planejamento estratégico de 1930 a 1986, e depois nos esquecemos disso, por vários motivos. Nós temos que acordar e trilhar o caminho do planejamento”, declarou Simonsen.

Ineditismo

O presidente do STJ agradeceu também o empenho do ministro Luis Felipe Salomão, professor da FGV e coordenador do Centro de Inovação, Administração e Pesquisa do Judiciário. Por sua vez, Salomão disse que o plano é uma iniciativa inédita que busca solucionar a sobrecarga de processos no tribunal e implementar novas ideias para melhorar a gestão das áreas de suporte. “Essa é uma iniciativa pioneira e, com certeza, vamos colher frutos no futuro. É fundamental ter uma visão administrativa para enfrentar esse novo momento no Judiciário e sair da crise da quantidade excessiva de processos”, afirmou.

Execução

O ministro Humberto Martins comentou que não basta um bom plano estratégico; é preciso haver o empenho coletivo na execução das suas diretrizes. “Planejar é preciso, mas executar é ainda mais relevante. Portanto, esta fase foi somente o início do grande desafio que temos pela frente”, afirmou.

O presidente do STJ disse que, além da execução do novo plano, vai manter as boas práticas já consolidadas na corte e incentivar um ambiente participativo, motivador e voltado para o aprimoramento e a inovação.

Fonte: portal.fgv.br

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

Posts Recentes

 Ver tudo