Inflação de Dia das Crianças é menor que inflação geral

O percentual ficou abaixo da inflação apurada para o mesmo período pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC/FGV), que foi de 9,19% – aumento causado em grande medida pelo clima, que afeta principalmente os itens alimentícios e energéticos.

Inflação de Dia das Crianças é menor que inflação geral

Levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) mostra que a Inflação de Dia das Crianças subiu em média 6,18% nos últimos 12 meses, considerando a variação de preços de produtos e serviços mais consumidos na data comemorativa. O percentual ficou abaixo da inflação apurada para o mesmo período pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC/FGV), que foi de 9,19% – aumento causado em grande medida pelo clima, que afeta principalmente os itens alimentícios e energéticos.

A pesquisa também mostrou que serviços e lazer foram os itens mais afetados, com alta de 7,63%, puxada pelos “passeios e férias” (21,22%). Segundo o pesquisador do FGV IBRE, Matheus Peçanha, as passagens aéreas influenciaram o aumento de “passeios e férias”: “O custo do querosene e do câmbio, além de um ensaio da retomada de demanda, em especial na temporada de julho, impactaram o preço das passagens. A boa notícia na cesta de serviços é que, mesmo com esse processo de reabertura em andamento, as salas de espetáculo (cinemas, shows e teatros) seguem com seus preços estáveis nos últimos 12 meses”, avaliou o economista.

Pelo lado dos presentes, a cesta dos 11 produtos mais tradicionais teve um aumento médio de 2,04%. As maiores altas vieram principalmente dos “derivados metálicos” e da indústria têxtil: artigos esportivos (8,6%), bicicleta (6,95%), aparelho de TV (5,89%) e calçados infantis (5%) registraram as maiores variações. O déficit de matéria-prima ocorrido nessas indústrias comprometeu a oferta, o que gerou a pressão inflacionária. O alívio da cesta de presentes ficou por conta dos livros (-0,94%) e celulares (-1,13%).

Para Peçanha, apesar dos motivos para comemorar, o momento é de cautela. “A condição do mercado de trabalho ainda é muito desfavorável para a maioria das famílias. O desemprego está à beira dos 15% e a recuperação da confiança com a retomada dos serviços e do comércio ainda patina. Com isso, a economia não está aquecida e o cenário no mercado de trabalho é excludente para muitos pais e mães, que ainda não estão em condições de gastar”, ressaltou o pesquisador.

Inflação de Dia das Crianças é menor que inflação geral

Fonte: IBRE

Fonte: portal.fgv.br

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

Posts Recentes

 Ver tudo   

Economia
ISBE FGV

IGP-10 sobe 1,79% em janeiro 2022

Com esse resultado, o índice acumula alta de 17,82% em 12 meses. O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu 1,79% em janeiro. No mês anterior,

Leia mais »