Cesta de Consumo aumentou em 6 das 8 cidades pesquisadas em novembro de 2021

A cesta mais cara foi a do Rio de Janeiro (R$ 824,82), seguida pelas de São Paulo (R$ 798,99) e Fortaleza (R$ 704,66).

Cesta de Consumo aumentou em 6 das 8 cidades pesquisadas em novembro de 2021

O valor médio da cesta de consumo básica de alimentos de novembro aumentou em relação ao mês anterior em seis das oito capitais analisadas mensalmente pela plataforma Cesta de Consumo HORUS/FGV IBRE, recém-lançada. As maiores altas foram registradas em Curitiba (7,8%), Belo Horizonte (4,6%) e São Paulo (3,0%), em relação aos valores de outubro/21. Fortaleza apresentou retração de 1,4% no valor total da cesta básica e Brasília, uma leve queda de 0,6%.

A cesta mais cara foi a do Rio de Janeiro (R$ 824,82), seguida pelas de São Paulo (R$ 798,99) e Fortaleza (R$ 704,66). Por outro lado, as capitais Belo Horizonte (R$ 542,38), Brasília (R$ 593,32) e Manaus (R$ 626,49) registraram os menores valores.

O grupo de produtos que apresentou aumento de preço mais expressivo e em todas as capitais foi o de legumes, composto por batata, cenoura e cebola, cuja variação no mês foi pressionada pela tendência de alta no preço da batata e da cebola, influenciado, principalmente, por fatores climáticos que prejudicaram a colheita.

Óleo de Soja e Café em Pó também apresentaram aumento de preços em todas as capitais, este último chegando a uma variação de 7,5% no Rio de Janeiro.

Açúcar e Carne Bovina tiveram tendência de alta em 6 das oito capitais, seguindo o padrão de alta verificado nos últimos meses.

Os problemas climáticos também têm sido o principal motivo de aumento de açúcar e café, devido à quebra de safras e consequente redução da oferta no mercado. Além disso, o aumento dos preços internacionais e a valorização do dólar têm sido um incentivo para exportação, empurrando ainda mais para cima os preços no mercado interno.

A redução do preço de bovinos e da carne bovina no atacado, apontada nos índices recentemente divulgados pelo FGV IBRE, não se refletiu no varejo na mesma proporção. Verifica-se uma retomada da tendência de alta de preço para o consumidor neste momento, que pode ser atribuída à demanda aquecida para as festas de fim de ano.

Alguns produtos também apresentaram redução de preço. É o caso do arroz e leite UHT, que apresentaram queda no preço médio nas 8 capitais, além do feijão, leite condensado e pão, que também tiveram redução de preço em 4 cidades.

Os altos níveis dos preços do feijão e do arroz tem impactado na demanda, forçando o preço para baixo. Além disso, o retorno das chuvas, quebrando o longo período de seca, vem contribuindo para o aumento da oferta desses produtos e para a melhoria das pastagens, o que reflete também na maior oferta de leite.

Em Curitiba, cidade que apresentou maior variação no valor da cesta básica, os produtos que mais subiram foram Fubá e Farinhas de Milho (6,2%), Açúcar (5,7%), Margarina (5,1%) e Café em pó (4,4%).

Quando se considera a cesta de consumo ampliada, que inclui bebidas e produtos de higiene e limpeza, além de alimentos, houve um aumento no valor médio em seis das oito capitais analisadas, em relação ao mês anterior. As capitais que apresentaram valores mais altos da cesta ampliada foram Rio de Janeiro (R$ 1.753,09), São Paulo (R$ 1.700,93) e Fortaleza (R$ 1507,96), seguindo o mesmo comportamento da cesta básica.

Na cesta ampliada, destaca-se a elevação de preços bebidas – cerveja e refrigerante -, enlatados e conservas, creme dental e batata congelada, esta última acompanhando a tendência de preços da batata in natura, como mostra a tabela abaixo:

Analisando o comportamento dos preços nos últimos 6 meses dos itens da cesta ampliada, destaca-se o aumento de preços em todas as capitais de produtos de higiene e limpeza (sabonete e amaciantes), além de Café, Açúcar, Margarina e Frango, que têm sido objeto de destaque recente dos índices de preços em geral, em virtude de sua contribuição para a inflação de alimentos.

Fonte: portal.fgv.br

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

Posts Recentes

 Ver tudo   

Ciências Sociais
ISBE FGV

Ciência de Dados e Ciências Sociais: Projeto da FGV seleciona novos bolsistas

O projeto visa a expandir as abordagens computacionais de análise de dados nas Ciências Sociais e na História. A Escola de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV CPDOC) abre o ano de 2022 com o processo seletivo para concessão de seis bolsas para o projeto “Ciência de Dados nas Ciências Sociais”, referente

Leia mais »