FGV desenvolve diretrizes estratégicas para STJ na gestão do próximo biênio

Em seu discurso, o presidente do STJ, Humberto Martins, afirmou que a escolha da FGV foi respaldada no sólido histórico da instituição, com mais de 75 anos de atuação no ensino, pesquisa e formação de pessoal altamente qualificado para administração pública e privada

FGV desenvolve diretrizes estratégicas para STJ na gestão do próximo biênio

Em cerimônia realizada na manhã da última sexta-feira, 28 de agosto, os presidentes da Fundação Getulio Vargas, Carlos Ivan Simonsen Leal, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, empossado na quinta-feira (27/08), assinaram termo de cooperação técnica com o objetivo de estabelecer diretrizes estratégicas para nortear a gestão do Tribunal no próximo biênio (2020-2022).

Na celebração, também estavam presentes o vice-presidente do STJ, o ministro Jorge Mussi, e o ministro Luis Felipe Salomão. Os ministros Herman Benjamin, Og Fernandes, Marco Aurélio Bellizze, Marco Buzzi, Moura Ribeiro, Sérgio Kukina, Sebastião Reis Júnior e especialistas da FGV participaram virtualmente.

Em seu discurso, o presidente do STJ, Humberto Martins, afirmou que a escolha da FGV foi respaldada no sólido histórico da instituição, com mais de 75 anos de atuação no ensino, pesquisa e formação de pessoal altamente qualificado para administração pública e privada.

O trabalho será realizado no âmbito do Centro de Inovação, Administração e Pesquisa do Judiciário da FGV, cuja missão é contribuir para o aperfeiçoamento do Sistema de Justiça, além de promover o desenvolvimento de pesquisas, estudos, bens públicos, atividades acadêmicas e debates, sob coordenação do ministro e professor Luis Felipe Salomão.

Além de estabelecer orientações de gestão para o STJ, o termo de cooperação prevê diretrizes sobre qualquer atividade que constitua uma violação das disposições das Leis Anticorrupção, proibição de práticas de discriminação, preconceito ou assédio, e adoção de normas de preservação do meio ambiente.

O projeto será realizado em duas fases e conta com uma equipe de especialistas em planejamento, gestão, inteligência artificial e compliance. O primeiro esboço será apresentado ao presidente do STJ no mês de outubro do ano vigente e engloba o planejamento e levantamento de dados. Na segunda fase, será realizada a compilação, análise e sistematização desses dados, bem como a construção das diretrizes estratégicas para a nova gestão. A execução dessas atividades compõe o plano de trabalho elaborado pela FGV e aprovado pelo STJ.

Contribuirão como base para realização do trabalho pesquisas já realizadas pelo Centro de Inovação, Administração e Pesquisa do Judiciário, assim como estudos já divulgados pelo CNJ e por outros organismos nacionais e internacionais no âmbito do Poder Judiciário.

Fonte: portal.fgv.br

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

Posts Recentes

 Ver tudo   

Ciências Sociais
ISBE FGV

Ciência de Dados e Ciências Sociais: Projeto da FGV seleciona novos bolsistas

O projeto visa a expandir as abordagens computacionais de análise de dados nas Ciências Sociais e na História. A Escola de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV CPDOC) abre o ano de 2022 com o processo seletivo para concessão de seis bolsas para o projeto “Ciência de Dados nas Ciências Sociais”, referente

Leia mais »